Elevando o som

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil

ASSOCIE-SE

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil


ASSOCIE-SE PESQUISA DE OBRAS CADASTRO DE OBRAS ISRC
VOLTAR

Elevando o som

Foto: FellowNeko em Adobe Stock.

Publicado em 16/03/2021

Clubhouse é a nova rede do momento. Focada exclusivamente em áudio, surge a óbvia pergunta: Como artistas da música podem se destacar? Venha conosco e descubra.

Para os mais desinformados e de forma bem resumida, o Clubhouse é uma rede baseada apenas em áudio. São criadas “salas” onde os participantes podem conversar e debater sobre qualquer tópico de interesse. As salas são de entrada livre, mas o “dono” dela também cumpre o papel de moderador, dando ou não o espaço para os integrantes que pedirem a palavra. 

Com essa simples dinâmica, o Clubhouse conquistou rapidamente a atenção e o interesse do grande público, especialmente após a entrada de algumas celebridades. Vamos então avaliar algumas formas de como tirar o melhor proveito da novidade.

Para Poucos

O Clubhouse ainda é um aplicativo que só pode ser acessado via convite. Apesar de não ser a intenção de seus criadores, que afirmam só manter esta “barreira” por não estarem com a estrutura pronta para receber maior volume de usuários, o fator exclusividade tem ditado o tom da rede.

Cada usuário só pode convidar mais três pessoas e ainda se tornam responsáveis pelas ações delas dentro da plataforma. Por isso a escolha tem sido bastante criteriosa e vem formando “grupinhos” bem seletos. 

Isso tem propiciado um ambiente mais de troca e debate entre “pares” de uma determinada área ou indústria, do que um espaço para divulgação e promoção de marcas, já bem recorrente em outras redes.  

Posicionamento é Conteúdo

As conversas têm se caracterizado como rodas de discussão de alto nível e para fazer parte é preciso ter o que falar. O Clubhouse se tornou o espaço para o posicionamento, que é tão importante para artistas nas redes (como dissemos aqui), e para mostrar que você também tem o conteúdo necessário, aí vão algumas dicas:

  • Crie a sua própria sala com um tema que seja relevante e você domine bem. Daí convide pessoas tanto que você gostaria que soubessem da sua opinião, quanto tem vontade de aprender com elas. Na rica troca, o networking gerado vale ouro.
  • Para o papo fluir, comece já montando uma agenda com umas 5 pautas a serem debatidas. Mescle assuntos para envolver a maior variedade de profissionais diferentes da sua área. No caso da música, que tal debater sobre processo de criação, direitos autorais, divulgação do trabalho e produção de shows? Outras pautas surgirão ao longo dos debates. Daí é só saber direcioná-las e manter seu “canal” aquecido com diálogos frequentes.  
  • Sua base de fãs ainda não está no Clubhouse, mas nem por isso você não deve se preocupar com a visibilidade dentro da rede. Players importantes estão lá. As grandes gravadoras, serviços de streaming e distribuidoras têm representantes que podem ser fundamentais para o seu futuro. Saiba dosar as suas opiniões com um pouco do seu trabalho e conquiste a atenção destes possíveis “padrinhos”.

Chegou Levou!  

Como toda nova rede, os pioneiros costumam levar vantagem e dominar o espaço. Para isso é preciso um tanto de talento e originalidade, porém também muito planejamento. Então nada de sair correndo. Antes de falar, aprenda a ouvir.

Não importa se você ainda está dando os primeiros passos na música. Aproveite que o ambiente ainda é bastante restrito e invista um tempo em assimilar o seu funcionamento, buscando aos poucos formas de inovar. 

Pense por exemplo em como conectar e complementar o que você faz nas outras redes sociais, de uma forma que faça sentido para os seus objetivos e amplie sua rede de influência e relevância. 

Quer uma sugestão? O Clubhouse lembra muito uma rádio ao vivo, já que as conversas não são gravadas. Então, vasculhar a história deste riquíssimo meio de comunicação pode ser uma ótima fonte de insights para formatos a serem explorados na nova plataforma.

Vai lá! Depois conta para a gente se funcionou.

Fonte: Popline

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER