Sintonizando com Márcia Tauil

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil

ASSOCIE-SE

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil


ASSOCIE-SE PESQUISA DE OBRAS CADASTRO DE OBRAS ISRC
VOLTAR

Sintonizando com Márcia Tauil

Foto: Fred Brasiliense

Publicado em 09/10/2020

A MPB é uma força natural e sempre tem em si artistas ímpares e marcantes. Dona de uma voz que figura entre as mais belas do segmento no país, Márcia Tauil, cantora e compositora, é certamente uma das grandes referências da música popular brasileira. Em entrevista exclusiva, Márcia conta detalhes de sua reconhecida e premiada carreira.


Foto: Renata Samarco

Seus primeiros passos na música se deram ainda na infância e, entre o choro e o baile, você encontrou a MPB. Em que momento decidiu seguir carreira com a música popular brasileira e como foi o início da sua carreira?

O início de minha  carreira como cantora solo se desenha a partir de 1998/1999. Estava sentindo necessidade de cantar repertórios mais alinhados com meu coração, sem diminuir em nenhum momento, a enorme escola que é atuar em bailes. Parti em busca de meu primeiro álbum solo, telefonando para casas de shows de São Paulo, tentando que alguém me contratasse e assim eu ficasse mais perto de gravadoras, indo atuar em uma capital. A única resposta que tive foi do Villaggio Café, hoje fechado, mas na época um tradicional local de música no Bexiga.

O produtor do local, Zé Luiz Soares, marcou uma reunião comigo (em 1998) para o dia 2 de dezembro, que é o Dia do Samba e também é o dia de meu aniversário. Sem saber, ele me dava um grande presente. Ele pediu para que eu levasse materiais e como boa mineira, levei tudo em dobro.

Ao chegar no Villaggio , ele se desculpa por não poder me atender naquele momento combinado pois estava às voltas com uma produção e me convida para esperar um pouco e ficar para assistir ao show. Já estava quase na hora.

Só havia uma mesa livre com dois lugares. Ali fiquei. Em pouco tempo o local lotou. Os artistas da noite foram chegando. Roberto Menescal, Eduardo Gudin, Vânia Bastos, Vicente Barreto: uma constelação! Eles iriam interpretar canções de José Carlos Costa Netto, à frente da Dabliú Discos naquela época.

Observação: eu era apaixonada pelo repertório de Roberto Menescal e fiquei encantada ao vê-lo, e já conhecia muita coisa de Costa Netto.

De repente, o homenageado chega e com a casa lotada, sobra apenas a minha mesa. Costa Netto senta-se comigo, muito cavalheiro. Recebe também meu material.

Assim, em janeiro de 1999 eu fiz meu primeiro show em São Paulo, e em abril, a Dabliú Discos lançava meu primeiro álbum, o Águas da Cidade. Em 2003, Eduardo Gudin e Costa Netto me convidaram para gravar o álbum Sementes no Vento, que também é lançado pela Dabliú Discos.

Alguns desafios cercam o início da carreira artística e um deles, em comum para quase todos, consiste na mudança de cidade. O que a mudança de Minas para São Paulo representou na sua trajetória?

Eu saí de Guaxupé, MG, mas não me mudei para São Paulo Capital. Me mudei para o interior de São Paulo: Mococa. Porém, muito perto de Guaxupé. Construí, de lá, toda a carreira. Até que me mudei para Brasília em 2010.

Ter ficado no interior pode ter diminuído algumas chances de eu estar mais perto dos artistas e das oportunidades de um coletivo, por exemplo, de estreitar laços, de estar em projetos com maior força de divulgação. Por outro lado, vim construindo o caminho devagar e aprendendo com as dificuldades.

O que mais me desafiou ao longo desses anos todos foi realmente perder várias vezes a voz e não assumir compromissos maiores por não saber o que aconteceria e se eu conseguiria cumpri-los, mesmo entendendo a cada ano que se passava, de saúde e técnica vocais.
Hoje já é sabido (descobrimos há sete anos) minha intolerância total ao glúten, que me deixava sem voz por inflamar a mucosa das pregas. Com essa descoberta e o controle da alimentação, recomecei e posso dizer que reiniciei minha trajetória.

Lancei com Melissa Mundim em 2019, o álbum autoral Melhor Agora, musicando suas poesias, e também o álbum beneficente Márcia Tauil canta Reginaldo Mil e parceiros (entre eles Jotabe, Zé Caradípia, eu mesma como melodista em duas faixas e Roberto Menescal), que vem atendendo várias instituições que necessitam de itens para venda para manter seu caixa.

Hoje, ao lado de outras grandes artistas, você é considerada uma das mais belas vozes da MPB. Como é para você figurar no cenário como uma referência?

Acho muito importante e gratificante. Solidifica a minha história. Me faz ter cada vez mais cuidado, mais carinho no que ofereço ao público, mais atenção ao que significa a VOZ para o ouvinte e para o próprio cantor.

Além de cantora e compositora, é também professora de canto. Como lecionar passou a fazer parte da sua vida?

Devido à doença celíaca e com a dificuldade de diagnóstico, alguns profissionais não sabiam mais o que me dizer. Comecei a estudar para tentar, eu própria recuperar a minha voz. Estudei demais. Com grandes profissionais e quando conseguimos o diagnóstico, eu já estava ajudando um amigo aqui, outro ali, e passei a dar aulas como consequência natural.


Foto: Fred Brasiliense

Seu mais recente trabalho, Pro Menesca, ao lado de Felix Junior, tem sido bem aceito pela mídia. Conta para a gente um pouco sobre o projeto?

Felix Junior chegou em minha vida recentemente, quando fui convidada a fazer uma participação no show da cantora carioca Ilka Villardo, onde ele a acompanhava ao violão. A empatia pessoal e musical foi imediata. Parecia que estávamos totalmente ensaiados. Foi natural que conversássemos que poderíamos fazer algo juntos.

Foi aí que disse a ele que minha vida musical começou vendo Roberto Menescal no palco do Villaggio Café e lá senti que Menescal seria importante para mim, como estava sentindo que Felix também seria, e propus que gravássemos um álbum com obras de Menescal. Felix imediatamente aceitou e constatei que ele também já conhecia e curtia todas as canções que eu propunha. Nasceu então o Pro Menesca, lançado pela Mins Música recentemente.
Ah, e já estamos acabando de gravar o Pro Menesca Vol.II. Além de termos ganhado uma madrinha massa, né, Ilka?!!


Confira alguns destaques do trabalho da Márcia Tauil:

Márcia Tauil e Felix Junior – Sabedoria

Fuso Horário – Márcia Tauil & Felix Junior – Participação Especial Roberto Menescal

Melhor agora – Márcia Tauil e Melissa Mundim – Lyric Vídeo

Siga a Márcia Tauil:
Facebook
Instagram
YouTube
Site


Foto: Marizan Fontineli

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER