Sintonizando com Tem Amor

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil

ASSOCIE-SE

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil


ASSOCIE-SE PESQUISA DE OBRAS CADASTRO DE OBRAS ISRC
VOLTAR

Sintonizando com Tem Amor

Foto: Michelle Castilho

Eles já participaram de muitos projetos diferentes. Um dia, se uniram e formaram a Tem Amor. Quem já foi ao show sabe que existe uma atmosfera diferente. Cada dia mais, as canções da banda conquista fãs. Conheça o trabalho cheio de personalidade e letras incríveis de Ramon, Zé Mario, Ébano, Bubu e Marcos Falcão.


Foto: Michelle Castilho

Para começar, conta um pouquinho pra gente sobre quem é o “Tem Amor”. Como vocês se conheceram, qual a formação da banda e como vocês se juntaram para esse trabalho.

A Tem Amor é uma banda que toca música brasileira, com temática de amor, mas em todos os sentidos contidos na palavra, amor por alguém, amor próprio e sempre com um pouco de humor. Essa é mistura que a gente gosta, humor e amor. Fica leve. Nossa formação não é tão convencional. Além de Baixo, Bateria, Guitarra e Vocal, usamos o Trompete como um instrumento tônico, que aparece de forma mais protagonista nas canções. 

A banda começou em 2015. A gente já tocava junto em outros projetos, todos eles “Covers”. Nossa afinidade fez crescer a necessidade de trabalhar junto em um projeto autoral também. Estávamos tocando em vários lugares do Brasil, e percebemos que fazer aquilo tocando músicas que a gente faz, poderia ser ainda mais divertido. Eu já tinha lançado um disco solo, e tinha algumas canções na gaveta. Mostrei essas músicas pra banda e fomos pro estúdio pra “arranjar”. Os primeiros shows foram abrindo o show da nossa banda cover, para já ter a garantia de público (rs). Apesar da dose dupla no palco, deu certo, o pessoal curtiu e começou a se interessar pelo trabalho.

Os integrantes da banda já são bem conhecidos por trabalharem em diversos outros projetos e também na noite….

Sim. O Zé Mario (Bateria) toca com o Emmerson Nogueira há muito tempo, e também já fez turnê com o Jorge Benjor, além de acompanhar artistas contemporâneos como João Sabiá, Luiz Kiari e por aí vai. O Bubu (Trompete) toca com os Los Hermanos, é Rei lá rs, não tem um fã de Los Hermanos que não conheça o trompete do Bubu, e agora ele faz parte também da banda do Rubel. O Marcos Falcão (Guitarra) é parceiro do Zé no Emmerson, está desde o início lá também e acompanha outros artistas incríveis da nova geração também, como o próprio Luiz Kiari.

Eu, além da Tem Amor, tenho outros dois projetos Covers, trabalho com produção, já fiz Rádio, e um monte de outras coisas nessa área. Ébano (Baixo) também tem outras atividades, toca com uma cantora incrível chamada Folakemi, já teve uma banda de Reggae autoral que fez história em Campos dos Goytacazes, e é aquele cara que sabe tudo sobre música, pesquisa, conhece as bandas mais estranhas do mundo (rs). O fato de começar uma banda com pessoas totalmente experientes e capazes, diminui a margem de erro, né? Todo mundo já “tá ligado” no que tem que ser feito. As coisas ficam mais fáceis, pelo menos do lado de dentro do palco.

Como é o processo de composição das músicas?

Temos vários processos. Às vezes componho sozinho, mando a canção, e se eles aprovam, a gente começa a preparar os arranjos. Outras o Ébano ou Zé mandam uma melodia pronta, uma harmonia, coloco letra e já foi. E algumas vezes nós nos reunimos para compor, todo mundo dando opinião ao mesmo tempo, metendo a mão na massa mesmo. Os três processos funcionam. Os nossos discos são uma mistura disso. Uma coisa que gostamos de fazer, é antes de tudo, debater temas, achar primeiro um assunto, do qual gostaríamos de dizer alguma coisa, de passar nossa visão. No disco que sai esse ano, fizemos bastante isso. Escolhemos assuntos.

No início desse trabalho vocês mesclavam músicas autorais com grandes sucessos. Atualmente o repertório dos shows é praticamente de composições próprias. Como foi essa transição e aceitação do público?

Essa é a parte mais bacana da trajetória. Desde o início sabíamos que nosso projeto era um projeto de carreira, de discos, de longevidade, e tocando nossas coisas. Porém, não contávamos que, tão rápido, as canções fossem aceitas, então fizemos um set list meio a meio apesar de mesmo nas covers a gente deixar uma cara nossa. Mas logo nos primeiros shows a galera começou a cantar as nossas músicas, comprar a briga… aí a gente ficou cheio de coragem né? (rs) Então, no 2º disco, já começamos a fazer shows com 90%, 100% de músicas nossas.

Vocês fizeram parcerias maravilhosas com Emmerson Nogueira, Rodrigo Suricato, André Bandeira, entre outras. Conta pra gente essas parcerias agregaram musicalmente ao Tem Amor?

Sim. Neste quesito, tivemos muita sorte. Recebemos o carinho de uma galera massa. O Emmerson cedeu estúdio de graça pra gente gravar, fomos pro estúdio dele em Minas, nos 2 primeiros CD´S, ficamos alguns dias lá, e ele acompanhou… Foi massa. O Suricato, a mesma coisa. Além dele topar assinar a produção do 1º disco e ir lá pra Minas com a gente, ele também colocou a gente pra abrir alguns shows dele, participou de shows nosso, sempre fala da gente com muito carinho, e agora disse que quer gravar uma canção nova nossa, que ele gostou bastante.

E tiveram outros parceiros incríveis como o André Bandeira que fez 2 clipes com a gente. Destaque pro clipe de “Chega”, com um orçamento bem pequeno, que ele pegou firme junto com a gente e fez um trabalho lindo. O Elton Fernandes que faz as capas do disco, o Julio Raposo que produziu o disco novo. Muita gente boa. Isso tudo agregou muito valor ao nosso trabalho, tanto musicalmente, com a troca com Emmerson, Rodrigo e Julio, onde a gente aprendeu muita coisa bacana, quanto com o Elton e André que colocaram a gente em um patamar bacana com a qualidade do trabalho deles.

Vocês já lançaram dois CD’s (também já disponível nas plataformas digitais). O que vem por aí?

Na verdade, lançamos dois EP´s que formam 1 Disco cheio. O 1º EP “Tem Amor” com capa vermelha (fazendo referência ao sangue arterial), com 5 canções. E depois o 2º EP “ANEXO”, com faixas de 6 a 10, com capa azul (fazendo referência ao sangue venoso, e completando assim as batidas do coração). Agora vem aí um disco completo de cara, com 10 faixas, todas autorais e sai no final do ano. Lançaremos o 1º single dele “A gente junto” no dia 12/6, dia dos namorados. Uma daquelas canções de amor, que dá vontade de guardar em um potinho. Estamos ansiosos!


Confira alguns destaques do trabalho da Tem Amor:

Chega – Tem Amor (Clipe Oficial)

Tem Amor – Anexa – Part. Emmerson Nogueira

Tem Amor – Tem Amor

Siga a Tem Amor:
Facebook
YouTube
Instagram
Twitter

Foto: Michelle Castilho

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER