O Poder da Música

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil

ASSOCIE-SE

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil


ASSOCIE-SE PESQUISA DE OBRAS CADASTRO DE OBRAS ISRC
VOLTAR

O Poder da Música

Por Belinha Almendra

Mais do que nunca necessária, a música nos acompanha desde os tempos mais remotos. Com base no achado de flautas de ossos feitas há 43 mil anos pelos Neandertais, pesquisadores estimam que a atividade musical deve ter pelo menos 200 mil anos, contra 100 mil anos de vida do Homo sapiens. 

Flauta Neandertal de 43 mil anos. Foto: Direitos Reservados

Desde que o mundo se fechou em quarentenas, única maneira de evitar que a pandemia da Covid-19 atinja níveis capazes de colapsar os sistemas de saúde em todo o mundo, a música tem sido protagonista de momentos que jamais esqueceremos.

Na Itália e na Espanha, duramente castigadas pela pandemia, os moradores foram para as sacadas, pátios, janelas, para cantar e tocar seus instrumentos, movimento que foi ganhando novos adeptos a cada dia, no Brasil e em várias partes do mundo. É a música como agente de solidariedade, empatia, bem-estar e prazer. Como antídoto capaz de aliviar um pouco o dia a dia de tensão que estamos vivendo.

Italianos tocam em Roma durante a quarentena. Foto: Guglielmo Mangiapane/Reuters

Diversas pesquisas comprovam que a música não só faz bem para a alma, como também mantém o equilíbrio de nosso corpo. Ela pode nos fazer lidar melhor com problemas como stress, ansiedade, depressão, dores crônicas, entre outros distúrbios. Estudos divulgados pela American Music Therapy Association-AMTA, dos Estados Unidos, e pela World Federation of Music Therapy-WFMT de Gênova, na Itália, reforçam que a música fala diretamente ao límbico do cérebro (região responsável pelas emoções, prazer, motivação e afetividade), liberando dopamina e causando sensação de bem-estar.

Em tempos de isolamento social, um estudo recente da plataforma Spotify, feito entre os dias 19 e 25 de março, quando as autoridades de saúde de diversos países recomendaram a quarentena, mostra que os hábitos de consumo no serviço de streaming já mudaram. Segundo a plataforma, os ouvintes têm buscado músicas mais relaxantes e o instrumental também ganhou mais espaço nas preferências. No Brasil e em vários países, artistas que tiveram turnês e apresentações canceladas, seguem promovendo lives em suas próprias plataformas e nas de outros serviços e empresas, fazendo crescer o consumo de suas músicas nas vias digitais.

Músicas relaxantes e instrumentais ganharam espaço. Foto: Direitos Reservados

Desafio para os pais, que precisam ocupar e entreter as crianças até que possam retornar às escolas, a música também pode e deve entrar na brincadeira. O estímulo musical na infância traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento social e cognitivo das crianças, como aponta a pesquisa do Instituto do Cérebro da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Os neurocientistas concluíram que a música desenvolve significativamente habilidades como a fala e a leitura. Indo além da simples audição, quando associada a atividades corporais, jogos e brincadeiras, a musicalização infantil também contribui para o desenvolvimento psicomotor nos pequenos.

A partir de agora, pense na música como uma aliada poderosa: use-a, sem moderação.

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER