Acústico MTV, uma lenda prestes a renascer.

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil

ASSOCIE-SE

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil


ASSOCIE-SE PESQUISA DE OBRAS CADASTRO DE OBRAS ISRC
VOLTAR

Acústico MTV, uma lenda prestes a renascer.

Símbolo absoluto do auge do mercado fonográfico nacional; originalmente um programa de TV que virou selo musical, movimentou carreiras e marcou vidas.

O Acústico MTV  marcou a segunda metade da década de 90 e começo dos anos 2000. Impossível acompanhar música nesse período e não ter, pelo menos, ouvido falar nesse nome. Foram 22 anos, 34 edições, milhões de álbuns vendidos e uma marca: o nome sinônimo de sucesso.      

O programa era uma releitura de sua versão norte americana, Unplugged MTV, trazendo uma fórmula muito simples: uso de instrumentos acústicos, ou seja, não elétricos. O formato caiu como uma luva para o mercado brasileiro. Afinal, uma apresentação em um auditório intimista, com o som mais baixo, é muito mais palatável (para a nossa sociedade esteticamente tradicional) do que um “bate cabeça” agitado com graves e agudos no último volume.

Esse é justamente o ponto delicado do projeto. Alguns críticos e fãs afirmam que o modelo podava a criatividade dos artistas. Ele fechava as possibilidades em uma caixa, onde praticamente só violão e voz podiam ser usados. Verdade ou não, o fato é que deu certo, muito certo.

O programa rapidamente se tornou um selo musical e movimentou o mercado fonográfico nacional. Chegamos em um novo patamar. Diversos discos de diamante, ouro e platina provam a relevância que o nome conquistou, dominando as novas mídias CD, DVD e Blu-Ray. Acústico MTV era sinônimo de qualidade, rendendo 9 indicações e 6 conquistas no Grammy Latino.

Bandas como Titãs, Kid Abelha, Capital Inicial e Ira! ganharam fôlego novo, atingindo o público de massa. O Acústico MTV virou uma vitrine para o mercado. Artistas dos mais variados estilos, em alta ou não, queriam participar. João Bosco, Rita Lee, Jorge Ben Jor, Cidade Negra, Lulu Santos, Lenine, Lobão, Paulinho da Viola, Cássia Eller, Sandy e Junior… são exemplos da pluralidade que o projeto trazia. Todos tinham espaço.

Porém, toda primavera tem seu fim. Mesmo sendo o responsável por ditar o mercado e influenciar uma geração inteira de amantes da música, o Acústico MTV chegou na sua última edição em 2012. A MTV Brasil enfrentava dificuldades de gestão e teve suas atividades em TV aberta encerradas no ano seguinte. Foi a última, ou um hiato?

A celebrada notícia veio no final do ano passado, quando a Viacom (atual detentora dos direitos da MTV Brasil), anunciou que estava retornando com o projeto, já que ele faz parte de uma estratégia de reposicionamento da MTV no Brasil. A promessa é que isso ocorra ainda em 2019!

Em meio às celebrações pelo retorno do formato, muitas perguntas surgem. Quem seriam os novos artistas escolhidos? O formato ainda funciona no cenário musical atual? Ele se sustentaria no mundo do streaming? A nova geração tem interesse?

Não temos as respostas. O fato é que se trata de um ícone da nossa música, que desperta instantaneamente a atenção das pessoas. Seus números e sua história provam a força que tem. Estamos na torcida para que o Acústico MTV se adapte ao novo mundo, superando os desafios que se apresentam. O importante é que nos traga muita música boa. Não falta fonte onde buscar.  

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER


Entrar em contato