VOLTAR

7 vezes em que cantoras brasileiras deram um chega pra lá no preconceito

 

Oito de março é, mais que um dia de comemoração, uma data para lembrarmos de todas as lutas e reivindicações que as mulheres já tiveram e ainda têm de enfrentar.

Neste Dia Internacional da Mulher, que tal relembrar algumas vezes em que artistas mulheres da música e da TV do nosso país nos mostraram o quanto são incríveis?

 

1. Quando Simone defendeu sua irmã, Simaria, que foi derrubada por um homem durante um show:

…e foi lá dar um soco no homem:

 

…e depois ainda disse: “Vocês vão me perdoar, mas na hora em que eu vi o cara derrubar a minha irmã no chão, eu meti a porrada mesmo. Quem tem irmão sabe – eu dou minha vida pela minha irmã, e em uma situação dessas meu instinto de irmã falou mais alto”.

 

2. Quando Alice Caymmi escreveu “Homem” e, depois, ainda fez esse clipe:

“Eu tento não ser pedagógica no meu feminismo, mas mostrar na parte artística. Já está implícito no meu trabalho o empoderamento feminino. Para mim é fundamental e já está lá!”

Rainha dos Raios MESMO! <3

 

3. Quando Maísa deu uma aula de sensatez e respeito com seus poucos 15 anos:

Tô começando esse texto dizendo que eu não estou fazendo isso pq estou me sentindo pressionada, ou como se eu devesse…

Posted by Maisa Silva on Tuesday, June 20, 2017

 

…e quando ela detonou o preconceito e o machismo em alguns tweets:

 

4. Quando Negra Li lançou a campanha #BelezaNegra, ajudando muitas mulheres a empoderarem-se contra “padrões estabelecidos”:

“A ideia dessa ação é espalhar a beleza negra e fazer dela cada vez mais presente e comum de se ver. Façamos a nossa parte enaltecendo a todas as mulheres desse país e trabalhando para que a auto estima delas esteja sempre elevada”

…e, pouco tempo depois, teve seu site hackeado com mensagens racistas, mas não abaixou a cabeça:

Já fui vítima de comentários e mensagens racistas na minha página do facebook mas é a primeira vez que tenho o meu site…

Posted by Negra Li on Monday, July 4, 2016

 

5. Quando Marília Mendonça provou que, para um(a) cantor(a), a voz vem antes de qualquer coisa:

…e acabou alcançando o posto de artista brasileira mais ouvida no Youtube:

“Esse desempenho fez com que a cantora superasse estrelas internacionais como Adele, Ariana Grande, Shakira e Taylor Swift no ranking das mais escutadas do YouTube.”

 

6. Quando Flora Matos lançou “Preta da Quebrada”, um rap empoderador:

“Sem nunca depender de um homem pra ter minhas parada

Faço minha caminhada

Sou um exemplo vivo de mulher que não se cala”

 

7. Quando Baby do Brasil, já nos anos 70, era uma mulher à frente do seu tempo:

Em entrevista à revista Rolling Stone, Baby conta que, aos 17 anos, fugiu para Salvador. Era 1969 e Baby perseguia o sonho de se tornar estrela. Na Bahia, a mocinha do “nariz arrebitado” conheceu os músicos Moraes Moreira e Paulinho Boca de Cantor, o poeta Luiz Galvão e o multi-instrumentista Pepeu Gomes. Época na qual o casal Baby e Pepeu viveu debaixo da Ponte de Piatã, na capital baiana.

Dez anos depois, na década de 1980, conquistaram juntos o topo das paradas de sucesso com os Novos Baianos.

Em 1985, Baby e Pepeu foram uma das atrações da primeira edição do Rock in Rio. Na época, ela estava grávida e a reprimida sociedade brasileira ficou chocada ao lhe ver cantando com a barriga de fora na TV.

 

Esses são só alguns exemplos do poder que as mulheres têm de buscar mais igualdade, inclusive na arte. E que esse seja um dia pra dar ainda mais força a essa luta.

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER