Youtube e as regras para as Lives

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil

ASSOCIE-SE

Faça parte da maior associação de música e artes do brasil


ASSOCIE-SE PESQUISA DE OBRAS CADASTRO DE OBRAS ISRC
VOLTAR

Youtube e as regras para as Lives

Por Gustavo Gonzalez

O mundo passa por um momento complicado, e a música tem achado caminhos para se manter viva e continuar trazendo paz e alegria nesses dias cheios de incertezas.

O Brasil, pelas suas características culturais e pela nossa paixão pela música, é o país onde as lives estão mais numerosas. Este modelo que já existia, mas que tomou uma proporção impensável nos últimos meses, gerou uma agenda super movimentada para aqueles que infelizmente estão confinados em casa.

Mas, ao mesmo tempo que esse fenômeno explodiu, a quantidade dúvidas seguiu de forma exponencial sobre como funcionam as lives, quais os direitos envolvidos e como é o processo. Dessa forma, vamos tentar aqui, de forma simples e direta, abordar os principais pontos que devem ser observados quando da realização de uma live através do Youtube.

Antes de mais nada, é fundamental entender que o Youtube é uma plataforma que, apesar de dar muita liberdade aos usuários, tem suas regras e condutas de boas práticas que precisam ser obedecidas e respeitadas. Todas as regras são baseadas no bom senso e em obedecer ao que é solicitado e recomendado pela plataforma. É importante para evitar problemas com os detentores de direitos autorais e com a própria plataforma.

O Youtube é um parceiro dos artistas e dos compositores, e deve ser sempre encarado dessa forma. Para ter a parceria é importante conhecer e seguir as regras, sob pena de ter a live retirada do ar ou sofrer outras punições. O Youtube conta com uma combinação de pessoas capacitadas e tecnologia para identificar conteúdo inadequado e aplicar as diretrizes da comunidade do YouTube.

Algumas regras que precisam ser respeitadas são as seguintes:

Apesar da semelhança do modelo de negócio com os shows que todos estamos acostumados, vale reforçar que mesmo tendo origens conceituais análogas, estamos falando de lives de shows, exclusivamente, com o público através da tela, e é importante reforçar que todos os direitos autorais estão devidamente assegurados e protegidos. O Youtube não pode oferecer esse suporte diretamente a você; busque, portanto, ajuda através de profissionais especializados ou mesmo sua gravadora. Os direitos autorais que devem estar autorizados são, dentre outros, os seguintes:

  • Direitos Fonográficos;
  • Direitos Autorais;
  • Direitos de Privacidade;
  • Uso de imagem, marca, etc.

O Youtube não permite conteúdo que incentive atividades ilegais ou perigosas. A política é aplicável a vídeos, descrições, comentários, transmissões ao vivo e qualquer outro produto ou recurso do Youtube.

EXEMPLOS (lista completa no site do Youtube):

  • Uso de drogas pesadas;
  • Fabricação de drogas pesadas;
  • Menores usando álcool ou drogas;
  • Venda de qualquer tipo de droga;

Além disso, apesar de muitas vezes as lives acontecerem em um ambiente mais descontraído, por serem em casa, determinados tipos de linguagem não são adequados para públicos mais jovens e é recomendado muito cuidado com essa situação. O uso de linguagem com teor sexual explícito ou excessivamente obscena no seu vídeo ou nos metadados associados a ele pode levar à restrição de idade.

EXEMPLOS (lista completa no site do Youtube):

  • Linguagem Vulgar;
  • Contas Inativas;
  • Termos de Serviço;
  • Restrição de idade em produtos Google

Como mencionado anteriormente, o conteúdo de uma live pode sim ser retirado do ar, caso a mesma não obedeça às regras da plataforma. O Youtube é uma plataforma aberta e democrática. A equipe que analisa a derrubada do conteúdo só age a partir de uma reclamação formal do proprietário do conteúdo. Por isso, você possui um papel fundamental na manutenção da saúde desse ecossistema. As reclamações nesse sentido podem ser feitas por parceiros através da ferramenta de Content ID (ao vivo ou sob demanda) e através do formulário online.

A ferramenta do Content ID, motor do Youtube para esse tipo de análise, é uma poderosa arma que o Youtube tem para a verificar a correspondência de vídeos e áudios de usuários e tentar monetizar. Também pode bloquear usos indevidos ou sem autorizações, que podem comprometer direitos autorais. Baseadas em regras pré-definidas pelo usuário, três ações podem ser tomadas:



Uma das questões mais importantes que deve ser estudada com muito cuidado é em relação a inserção de marcas e produtos durante as lives. Este é um tema muito sensível e precisa de muita atenção para não conflitar e eventualmente canibalizar as publicidades que poderiam ser veiculadas no Youtube. O Youtube é um parceiro de negócios do artista, e o respeito às regras são fundamentais.

O produtor da live pode realizar endossos, colocações pagas de produtos e integrações de marca em seu conteúdo. Nesse caso, recomendamos que notifique o Youtube marcando a caixa “o vídeo contém promoção paga”. Toda a promoção paga precisa estar em conformidade com as políticas de anúncios do Google e obedecer às leis locais de cada território. Mais informações no endereço:
https://support.google.com/youtube/answer/154235

É fundamental que os anúncios não entrem em conflito com as políticas de anúncios do Youtube ao planejar sua transmissão ao vivo. É possível que alguns formatos de anúncios sejam idênticos aos já oferecidos pela plataforma aos usuários. Por isso, é importante sempre obter as autorizações necessárias antes de colocar uma marca ou produto na sua live.

Se houver anunciantes interessados em veicular anúncios no seu conteúdo, trabalhe com seu gerente de parcerias. Inclusive em transmissões ao vivo.

Antes da live é importante confirmar que seu canal está ativado para a monetização e se for elegível, o Youtube pode veicular anúncios em seu conteúdo.

Existem três tipos de anúncios que podem ser veiculados dentro da plataforma numa live:

  • Anúncios precedentes (pre-roll) – são exibidos antes da transmissão ao vivo, visíveis em celular e computador.
  • Anúncios intermediários (mid-roll) – são exibidos durante a transmissão ao vivo, e dependem de implementação técnica do lado do Youtube.
  • Anúncios gráficos e de Sobreposição (Display e overlay ads) são exibidos ao lado ou sobre o conteúdo, visíveis no computador.

O Youtube é o parceiro do artista e fornece um apoio de marketing. Importante considerar o uso da marca em #FiqueEmCasa. A hashtag deve ser escrita da seguinte forma: #FiqueEmCasa e Cante #Comigo. É importante que o artista submeta seu evento com antecedência para divulgação no site do Google g.co/emcasa, onde a plataforma disponibiliza uma lista diária das próximas transmissões ao vivo. As agendas são postadas todas as segundas e quintas no site do Youtube.

O passo inicial para uma live é informar o Youtube com antecedência. Tente fazê-lo por meio de sua gravadora, distribuidora ou representante digital. Artistas independentes podem fazer isso direto através de um formulário no site da plataforma, mas é recomendado que se você possuir uma gravadora, distribuidora ou representante digital, tente centralizar esse processo com ele(s).

É importante checar sempre se o seu canal é verificado e que você não teve restrições de transmissão ao vivo nos últimos 90 dias.

Esperamos que essas informações resumidas ajudem vocês a entender um pouco desse complexo universo novo das lives, e caso ainda existam dúvidas, não hesitem em entrar em contato que vamos tentar ajudar!


Por Gustavo Gonzalez
Diretor de Relações Internacionais & Business Affairs – Abramus

SIGA-NOS NAS
REDES SOCIAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER